Qualidade Fisiológica da Semente

Faremos uma sequência de posts em nosso blog falando sobre a importância da eficiência da semente no campo. O primeiro trata-se da qualidade fisiológica.Mas antes, precisamos definir o conceito de semente. Do ponto de vista tecnológico podemos falar que ela é um material superior, obtido a partir de dois procedimentos: um processo de campo minucioso e um beneficiamento rigoroso, com garantias mínimas de germinação, pureza física e varietal. Então, o que seria uma semente de alta qualidade fisiológica? Um material que tenha mais do que se espera, com germinação muito além do mínimo exigido, com bom vigor e que garanta um ótimo estabelecimento no campo.

Ao longo dos anos, nós da Sementes Ceratti desenvolvemos pesquisas, estudos e ensaios no campo a fim de construir uma semente de maior qualidade fisiológica. Para alcançar esse objetivo, testamos produtos e manejos distintos durante a condução dos campos de produção. Após, avaliamos os efeitos na semente, na germinação, no vigor e no estabelecimento de plântulas. Com isso, hoje temos o “know-how” e a “expertise” que tem como escopo recomendações diferenciadas que rompem barreiras do convencional. Estamos convictos que o potencial da semente é um fator determinante para altas produtividades. Aliando isso com um manejo de campo diferenciado, uma semeadura feita corretamente e na hora certa, pode-se bater recordes de produtividade.

Toda vez que se trabalha com uma semente de alto potencial devemos reduzir a densidade de semeadura para 80 kg, 70 kg ou até mesmo 60 kg/ha. Esta baixa densidade associada a uma boa distribuição das sementes na linha, e a uniformidade de profundidade farão com que a emergência do estande inicial seja mais uniforme, e haja menor competição por recursos (nutrientes e luminosidade). Pois, quando as plantas têm um maior espaço para o desenvolvimento do sistema radicular e parte aérea, conseqüentemente, elas serão plantas robustas, bem desenvolvidas, saudáveis e acima de tudo PRODUTIVAS!

Estamos caminhando para o aumento da eficiência em todos os setores e no campo não pode ser diferente. Produzir mais com menos sementes e usar insumos de qualidade é a chave para o sucesso. Porém, como garantir que com uma baixa densidade pode-se ter um bom estabelecimento? Um dos segredos é o assunto principal do próximo texto, o TISA. Fique ligado!

  

Compartilhe este Post: